28/09/2007

Sem poema



Vou fazer deste espaço um lugar para os meus "sem poema". O Verão já lá vai, o tempo arrefece, e os versos se não forem usados também definham e morrem. Ficarei atento aos que mais resistirem e lhes darei abrigo num poema que os mereça.

Horas tardias
Uma janela com luz azulada
Alguém vencido pela madrugada
ligado na solidão
O sono franqueado
sonho agitado
trabalho forçado
horário trocado
companheiro fechado

4 comentários:

Barão Van Blogh disse...

No entanto poéticamente perfeito ...

"...Na água do mar sem pudor
Nu mergulhar tão lento ..."

Bom fim de semana .

Visible Silence disse...

Gosto das tuas palavras...
Não as guardes... não as deixes morrer.
Voltarei...
Para neste jogo de letras sentidas me perder.
:):)
Beijinhos

Paula Raposo disse...

'Sem poema'...lindíssimo!

Alexandra disse...

Estas palavras são tão reais!!!

Excelente, como sempre. Gostei imenso!!!

Beijos e faça mais destes :)

Bjocas