14/01/2009

Contraventos

Branca memória de cava consciência
Oferta de intenções e gestos
Impossíveis contratos de bondade
Brilham gentilezas isentas de emoção
Treinam-se sorrisos magros
Falha o aperto de mão
Um olho não basta ou ser-se iluminado
Quem fala não escuta
Traduzam o sofisma viral
Inocente discurso estéril desculpado
Certificada balança infiel
A quem confiar a carta para Deus?
Promessas vãs
Sonhos do meu Universo

#8

5 comentários:

MarTIC@ disse...

Contra ventos e marés... Um vendaval de palavras sopradas com grande intensidade!

X@u

Paula Raposo disse...

Nostálgico. Beijos.

carla mar disse...

Abraço-te :)

Maria, Simplesmente disse...

Olá Pedro!
Gostei de cá vir.
Bom fim de semana
Maria

Vieira Calado disse...

Minha 1ª visita, creio.

Gostei do que vi e li.

Um abraço