15/02/2008

Latejo

Crescente desejo
Horas que são tuas
Na boca o beijo
De antigas ruas

Nunca falar
Do que despertas
Escrever e calar
Páginas desertas

Adivinhasses
Nada negava
Chamasses
Estava

Rio parado
Diques recentes
Corpo deitado
Não sentes

Nas veias o amor
Inundado coração
Sangue e calor
Latejar de emoção
_________
Pedro Arunca
2008/02/14

5 comentários:

Paula Raposo disse...

Gosto de te ler assim...com a música a sair das palavras.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido amigo Pedro, lindo o teu poema... Adorei!!!
Grata pela tua visita ao meu cantinho.
Bom fim de semana.
Beijinhos de carinho e amizade.
Fernandinha

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Pedro, venho desejar-te um bom fim de semana.
Beijinho de ternura.
Fernandinha

Fátima disse...

Amigo,

Lindo poema!
"Nas veias o amor..." - Brilhante!

:-) um abraço

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá pedro venho desejar-te uma boa semana.
Beijinhos de carinho e ternura.
Fernandinha