15/05/2007

Cartas guardadas

Longe, os dias cor de rosa
Distantes, as flores do jardim
Poemas que já foram prosa
Cartas que guardo para mim

Palavras nunca escutadas
Páginas por desvendar
Lágrimas cristalizadas
Que o tempo fez secar

Cada estrela um segredo
Que a lua lhe contou
Sombras no arvoredo
Que o amor projectou
___________
Pedro Arunca
2007/05/15

4 comentários:

Nélia disse...

Cartas guardadas quem as não tem? No papel ou na mente elas foram escritas... podem conter boas recordações ou grandes desilusões, mas jamais se perdem!

Nélia disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Ana disse...

A palavra não dita, a emoção não revelada, a lágrima que ninguem viu, é aquela que permanecerá sempre no seu estado mais puro, pelo efeito que não causou.
Talvez por isso, por vezes, seja a que mais nos queima por dentro.

Ana disse...

Vim avisar que foste "apanhado" numa corrente...

Espreita o meu cantinho!:)