04/03/2009

A fuga dos peixes

Nevoeiro no mar profundo
Um anzol prende o mundo
De inocentes predadores
a incautos pescadores
com redes de malha fina
rapamos o chão da mina
Já não molhamos os pés
no confronto das marés
os peixes entenderam
e não desobaram
abalaram sem rasto
escolheram um astro
A Lua perseguidora
já não é enganadora
O Sol mudou de turno
nosso sono é diurno.
____________________
Pedro Arunca (poema e imagem)

5 comentários:

Alexandra disse...

Em poema se dizem as verdades!!

Beijo

Graça Pires disse...

"Já não molhamos os pés
no confronto das marés"
Gostei muito do poema.
Um abraço.

Paula Raposo disse...

Já não te visitava há muito!! Gosto sempre de te ler...muitos beijos.

Å®t Øf £övë disse...

Pedro,
Fossem só os peixes a terem que fugir. Por vezes até nós nos sentimos perseguidos por prededores.
Abraço.

A Luz A Sombra disse...

Quem me dera ser como os peixes...!