30/07/2008

Aprender a fazer nós

Viver no lamento
Mata a nossa alegria
Alivia o sofrimento
Ver o nascer do dia

Cada um com sua cruz
Qual delas a mais pesada
Se o tamanho não reduz
Encurtemos a caminhada

Quanto maior é o percurso
Mais custa carregar
Procurar outro curso
Talvez possa aliviar

A própria Natureza
Nos dá boas lições
A água das represas
Escapa nas evaporações

Ninguém se gabe de amar
Sem nunca ter sofrido
Há caír e levantar
E o saber aprendido

O amor não se reclama
Nem se sujeita a nada
Só damos pela chama
Com a pele já queimada

Muitas estrelas tem o céu
Cada um procura a sua
Há a quem baste o que é seu
E quem dispute a Lua

A vida é uma montanha
Onde não chegamos sós
Com uma corda não é façanha
Se dos erros fizermos nós

__________

Pedro Arunca
2008-07-30

5 comentários:

brasa disse...

Gosto da tua escrita...Obrigada por seres meu amigo...Beijinhos

Paula Raposo disse...

Tens razão...desejo que passes um dia bonito, hoje. Gostei da música que escolheste para este dia!! Muitos beijos.

Andreia do Flautim disse...

Obrigada pela tua visita!=)
Volta sempre!

Coisinhas com Amor disse...

Olá Pedro, vim retribuir a tua visitinha.
Adorei a tua escrita, parabéns.
Consegues transportar-nos para o imaginário, só com palavras.
Também eu sou amiga, ainda que virtual da Magda.
Beijinhos e bom fim de semana,
Carla

Paula Raposo disse...

Obrigada pelo teu comentário! Assim, pelo menos, sei que gostaste de um poema meu!! Beijinhos de bom fim de semana.