25/12/2006

O Natal em nós

Nas ruas iluminadas anunciamos o Natal.
Aqui e ali, músicas e cânticos da quadra.
Temos sorrisos de ida e volta.
Agora, vamos ser mais generosos.
Ligamo-nos, enfim, ao Mundo

Fazemos mais pelas crianças
Esquecemos os dias difíceis
Lembramos familiares e amigos
Imprimimos desejos e afectos
Zarpamos do mar da indiferença.

B
roas, sonhos e rabanadas
Ornamentos de cor e magia
Acordes e timbres de festa
Sons e ecos de alegria

F
alta-nos sempre alguma coisa
Esperamos e queremos mais
Somos voluntários da paz.
Talvez o Mundo se torne melhor
A partir de hoje e de cada um de nós.
Sejamos capazes de mudar
__________
Pedro Arunca
2006/12/21

12 comentários:

Ana disse...

Já te disse que detesto o Natal?
Não sei, mas sinto no ar um cheiro a hipocrisia.
Não gosto das sms que recebo daquelas pessoas com quem não falo há mais de 1 ano... não gosto do telefonema saudosista do primo que mal se lembra do meu nome... não gosto da correria ás prendas "porque tem de ser"... não gosto da solidariedade exibicionista que se espalha como um vírus nesta época...

Felizmente, este ano mandaram a Árvore de Natal gigantesca lá para o Porto... porque até essa já me metia nervos!

Beijinhos

avelaneiraflorida disse...

POIS...NATAL!
E os outros dias?????
Continuamos a viver de máscaras!!!!

Já não vou em "natalices"!!!!
Bjks!

Pyta disse...

Broas, Rabanadas, Sonhos???
Onde, onde?
Também quero!!!!!!!!
Preciso manter o meu corpito....
Quero calorias!!!!!!!!!!
Pyta

Sol da meia noite disse...

Em contexto de Natal ou não, cada um fazer a sua parte... e tudo mudará.

Que as tuas palavras sejam a verdade de cada ser...

Beijos mil

Paula Raposo disse...

O Natal do cinismo. Quando a maioria das pessoas se lembram que existem outros para além deles e dos seus umbigos! Cada vez ligo menos a isto, para não dizer, que ligo absolutamente nada!! Gostei do teu poema e das cores lindas com que o escreveste!! Muitos beijos.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Pedro, palavras belas, lindo poema.
Adorei!!!
Muitos Beijinhos,
Fernandinha

Papoila disse...

Olá Pedro... o teu singelo poema consegue estar mais iluminado que os rostos que vejo pelas ruas de Lisboa. Acho que já não há espírito de Natal. Resta mesmo só o consumismo.

Beijinhos
BF

Nanda Nascimento disse...

Lindo, o natal deveria ser isto sim, eu curto muito esta data pois passo com pessoas que amo, e convivo, agora festinhas confranternização depois do quebra-pau estou fora.

Beijos e flores!!

A Luz A Sombra disse...

Que o próximo ano seja BOM Pedro.
A Luz A Sombra

Margarida (D.Maga) disse...

Pois parece que os portugueses andam mt generosos...
conseguiram gastar 7 milhões de aeurios por hora na véspera de Natal....
mesmo com esta "crise" estão sempre dispostos a dar...
Natal é família, paz, amor....
mesmo para mim que não sou católica.....

escarlate.due disse...

que 2009 te ofereça 365 dias de natal, Pedro.
obrigada por todas as palavras que foste oferecendo nos anteriores
beijinhos, for you

Maria, Simplesmente disse...

Pedro:
Li este poema seguindo as cores e foi muito interessante o resultado.
Mais uma vez o li... mais uma vez te desejo Bom Ano... Bom Ano por dentro Pedro.

Gosto desta frase no teu perfil:
"Não tenho tempo para deixar correr horas vãs."

Maria